Do dilema da razão

Ah! O turbilhão de razões que
Embaralhou meus sentimentos,
Derramou lágrimas
E deixou apenas o soturno silêncio.

O amor não deve ser feito de razões.
Elas nos deixa covardes para viver
Da mais pura e simples felicidade.
Você disse que partiria porque me amava.

Foi apenas um toque e
Sua beleza autêntica no olhar.
Demos às mãos um coração,
Mas a razão traiçoeira o devolveu.

Você partiu em paz,
Pois eu ainda segurava o seu coração.
O segurei todos os dias em sua espera.
Mas em paz você partiu.

Enquanto deixa lágrimas caírem,
A razão traz paz aos que a procuram.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.