Chuva

Enquanto estávamos no Sol
Eu não podia te enxergar.
Precisei ir para a sombra,
Para longe.

Hoje, chove.
As lembranças gotejam
A saudade se infiltra
Alaga e inunda.
O granizo machuca,
Mas logo derrete
E inunda mais um pouco.

E logo a chuva forma um oceano.
Em que tivemos que nadar, sozinhos.
Sem salva-vidas,
E nem vidas salvas – temia.
E foi só aí que te percebi.

Hoje, amo oceânicamente,
De longe, na água.
Por dentro,
Não sei se são lágrimas
Ou se é apenas a chuva.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.